sexta-feira, 6 de novembro de 2009

20 DE NOVEMBRO: FERIADO OU REFLEXÃO?

Hoje, para abrir o mês de novembro, coloco aqui algumas palavras para reflexão sobre o Dia da Consciência Negra que vem se aproximando. Muitos não sabem, mas a data foi instituída por causa da morte de Zumbi de Palmares, em 1695, precisamente em 20 de novembro daquele ano. Ele foi um grande líder negro reconhecido por seu espírito de luta contra a escravidão.
Pelo que consta em nossa história e aprendemos na escola desde pequenos, o Brasil teve seus heróis, dentre eles, o que agora me vêm à memória, Tiradentes. Este foi reconhecido no Brasil como herói nacional, patrono cívico e mártir da Inconfidência Mineira. Foi morto porque se rebelou contra o poder da metrópole Portugal.
É... Parece que sempre foi assim, não é mesmo?! Aqueles que batem de frente com o poder e protestam fazendo valer seus direitos levaram e continuam levando a pior.
Mas por que falar de Tiradentes? O que tem a ver com o Dia da Consciência Negra ou Zumbi de Palmares?
A relação que pretendi fazer é a seguinte: nós, a partir nos anos iniciais na escola, aprendemos o significado do dia 21 de abril, afinal, precisamos manter vivo nosso patrimônio histórico cultural e homenagear aquele que sabemos ter sido um verdadeiro líder.
Comemorar o Dia da Consciência Negra, portanto, deve ser interpretado da mesma forma. É igualmente uma maneira de manter viva em nossa memória as lutas de um povo, especificamente o povo negro, representado por Zumbi de Palmares, símbolo da resistência e luta pelo fim da escravidão, pela liberdade de culto e pela inserção da cultura africana.
Em uma breve explanação, digo que o posteriormente chamado Zumbi nasceu livre, em Palmares, e até parte da adolescência foi criado por um religioso que deu a ele nome de Francisco. Foi inclusive alfabetizado. Jovem ainda, inconformado e sofrendo ao observar a vida de seus irmãos de raça, na condição de escravos, se rebelou e fugiu retornando à sua origem, onde imperou e passou a liderar a resistência contra as tropas lusas, pela liberdade dos escravos. Externando todo seu espírito de luta, mostrou-se guerreiro, corajoso, ganhando, assim, o respeito de todos aqueles por quem ele brigava.
Muitas pessoas desconhecem o passado histórico e por este motivo perguntam: celebrar um dia vai acabar com preconceito contra a raça negra?
Não! Justamente porque o propósito não é este. A intenção da comemoração do Dia da Consciência Negra é conduzir as pessoas à reflexão acerca de um passado que envolveu um líder negro também de relevante papel para a história, assim como sobre a inclusão dos afrodescendentes de forma igualitária em nossa sociedade.
A data foi, até mesmo, inserida no calendário escolar, através da lei 10.639 de 9 de janeiro de 2003, tornando obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira, a fim de transmitir aos alunos a importância do negro na formação da sociedade nacional e sua cultura.
Interessante, não?! Mas será que se incluem ações que preparem professores para fazer cumprir a tal lei?
Isto deve ser uma preocupação da união, do estado e dos municípios, pois de nada adianta somente os professores engajados com a promoção da igualdade racial buscarem ferramentas que possibilitem seus trabalhos dentro deste contexto.
Reiterando, em especial, a data de 20 de novembro, é possível compreender que não devemos considerá-la um mero feriado para descanso, mas sim um resgate a um símbolo liderança a favor da emancipação do povo brasileiro e uma maneira de revigorar toda força em defesa da justiça e equidade.
A questão racial é antiga, ampla, extremamente polêmica e contínua. As opiniões são, por conseguinte, bastante divergentes e é isto que sempre irá enriquecer discussões.
Conto com a colaboração de vocês para os próximos posts, que durante todo o mês trarão textos interessantes relacionados ao tema.

11 comentários:

  1. Tão extenso e complexo é o tema que eu mesma já me contradisse umas cinco vezes tentando formar uma opinião sobre este assunto... Minhas idéias iniciais são contrariadas por novas idéias, e cada novo pensamento ainda dentro do pobrezinho do meu cérebro, nem bem chega à completa formação, vem novos argumentos contrariando os anteriores...

    Dessa semana de intenso debate (comigo mesma, colegas e alunos) tive apenas uma certeza... Para a maioria das pessoas ou essa data é uma maneira de acabar com o preconceito ou apenas mais um dia de descanso... Pior! Muitos não sabem explicar o significado de boa parte dos nossas "datas comemorativas"...

    ResponderExcluir
  2. Jorge Antonyo - RJ

    Essa matéria, indiretamente nos diz que não existe dia pra se comemorar o dia do negro. O respeito mútuo tem que se haver sempre.

    ResponderExcluir
  3. ALESSANDRO (PITÁ)6 de novembro de 2009 10:10

    Adoro discorrer sobre esse assunto. Ficaria horas aqui refletindo e escrevendo para elucidar uma pouco mais a mente retrógrada dos racistas institucionais de plantão. Minha luta em todos esses anos como homem público visa simplesmente que as autoridades com poder de execução de políticas públicas partam para a ação efetiva, e parem de discutir como, onde e porque. É muito óbvio a condição subalterna da população afro-descendente. Dependemos sim de políticas de inclusão (sejam elas cotas ou qualquer medida semelhante), como forma de reparação do espaço que nos foi tomado ao longo dos anos. 20 de novembro nos faz crer que um dia teremos igualdade de "verdade". Não queremos que os "não negros" gostem ou amem os negros, queremos sim que respeitem nosso espaço e nos devolva a dignidade em forma de oportunidades. Somos capazes. Yes We Can!

    ResponderExcluir
  4. um inquestionável gigante na luta pela liberdade de raça tão sofrida, Zumbi tornou-se icone e data da consciência negra. Nada mais justo.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Lu!

    Questão polemica, eu em particular adoro a raça negra, minha avo materna era negra, sendo meu avo italiano, mistura perfeita, somos superiores.

    Beijos Deborah

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu!
    Realmente, acredito que esse seja o feriado que cause mais polêmica...
    Precisa mesmo ser mais debatido e esclarecido para muitos...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Não podemos deixar de observar que a questão racial (tema importantíssimo num país em cuja formação o negro trouxe enorme contribuição) é um sub-tema de um problema maior: A questão de classes.

    Negros e outras raças não são alvo de preconceito e discriminação apenas por sua cor, mas principalmente por sua condição de despossuídos, de seres que não têm nada mais do que sua força de trabalho.
    O pobre, de todas as raças, é sempre cativo do capital.
    A liberdade que a Lei Áurea pretendeu estender aos negros, é apenas formal. Já não há escravos no sentido estrito da palavra, mas a dependência e sujeição a que os trabalhadores eram submetidos antes de 1888, se desenvolve hoje sob novas formas: Somos formalmente livres, mas substancialmente cativos do capital.
    Prova disso está nas conclusões de uma pesquisadora da USP de S. Carlos ao constatar, em várias atividades econômicas levadas a cabo nos tempos presentes, que a situação da classe trabalhadora chega a ser pior do que nos tempos das senzalas.
    Ou seja, e isto é o mais importante: existe uma verdadeira Abolição a ser conquistada.

    A verdadeira emancipação, a autêntica quebra dos grilhões, tudo isso só virá quando tivermos um regime onde os interesses coletivos prevaleçam sobre o interesses do grande empresariado.

    Viva Zumbi! Viva Osvaldão da Guerrilha do Araguaia!

    Continue, Lu!

    ResponderExcluir
  8. Olá Amigos,

    Obrigada por acompanharem.

    Acompanhem para a próxima semana um texto sobre as COTAS. Muito polêmico também.
    A questão racial é um desafio presente...

    Expressem suas opiniões. Participem!!!
    Vocês sempre me ajudam muito.

    Abraços,
    E... Viva Zumbi!!!

    ResponderExcluir
  9. Jorge Antonyo - RJ.

    Algo interessante que poucas pessoas conhecem, que na época da escravatura, só eram forçados a serem escravos pessoas que não tinha uma família RICA. Então no quilombo havia pessoas de pele branca e existem relatos até de orientais e índios.

    Então Zumbi dos Palmares mais do que nunca ele lutou contra a escravidão, deixando bem claro para algumas pessoas racistas dizendo que zumbi lutou somente para os negros.

    ResponderExcluir
  10. Amor, gostei muito de seu texto e como sempre suas reflexões são realmente muito belas e nos fazem pensar em diversos fatos do dia-a-dia. Inclusive uma grande liberdade que aconteceu foi no ano de 82 e 83 momento que a instituição S.C. Corinthians Paulista promoveu a "democracia corinthiana".
    Sei q o tema de liberdade está relacionada a vários segmentos e durante este mês os noticiários trarão diversos deles. A propósito, amor de minha vida, não gostei muito da mudança do seu blog para a cor verde, mas tudo bem...rs.

    ResponderExcluir
  11. Pequena e tão complexa, cheia de informações.Ao ler fiz uma reflexação;é uma pena que nem todos pesam assim, pena que nem todos se equidam com os outros,mas é assim.Só de pensar que foram esses negros que constituiram este país por muitos anos, que foi através deles que demos continuidade ao que começaram,e que este dia não seja apenas um dia de descanso e sim um dia de reflexão.
    Jakellyne Pinto Novais

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e comentário.
Volte sempre, pois é e será sempre um prazer dividir minhas letras com você!