sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

VOLTA ÀS AULAS

Volta às aulas na minha época – não tão remota – era bem instigante.
Passada a primeira semana do novo ano, eu corria lá na escola pra ver se a secretaria poderia informar o dia do início do ano letivo. O retorno era marcado por uma ansiedade prazerosa. Posso sentir o sabor daquela espera.
Muito aguardado era igualmente o dia de sair pra comprar material escolar. Lá em casa, tudo era multiplicado por três, e só meu pai trabalhava. Criou ali, desde cedo, uma doutrina. Carecia que fôssemos, meus irmão e eu, sempre compreensíveis.
Semanas antes do início das aulas, minha mãe escolhia um dia, e, então, íamos à vizinha Ribeirão Preto, de ônibus, pra comprar aquilo que serviria para ano todo. Cadernos eram aqueles diários, brochuras, que continham o hino nacional atrás. As capas não estampavam cantores, atores ou bandas famosas, mas se tornariam as mais bonitas depois de envolvidas no papel plástico xadrezinho de azul ou vermelho. Lápis de cores eram dos bons, pra durar o ano todo. O estojo era de madeira; confeccionado pelo meu pai. Envernizado e com repartição pra borracha, lápis preto e lápis de cores, era cobiçado porque abrigava até o tubinho de cola branca. A tesoura vermelha era a do tempo do maternal, com meu nome gravado.  Até hoje eu a guardo com carinho.
Dias antes de voltar pra escola, minha mãe e eu sentávamos junto da mesa da cozinha pra aprontar o material: encapar os cadernos e colocar o nome nos objetos. Eu admirava o jeito amoroso com que ela transformava os cadernos mais simples nos mais belos e contempláveis. A primeira folha ganhava uma dobradura que, em seguida, seria presenteada com uma ilustração, feita também por ela, minha melhor desenhista. No caderno de Língua Portuguesa, traçava uma bonequinha. No de Matemática, um patinho. No de ciências, um lago rodeado por flores mínimas. Não necessariamente nessa ordem. Eram exclusivos os meus cadernos. Os desenhos eram os mesmos que ela esboçava nas fraldas de pano que pintava à mão quando eu era bebê. Eu os contornava delicadamente com os lápis novos, depois coloria e apreciava com orgulho.
Com tudo pronto, eu arrumava na mochila do ano anterior. Ali começava a espera pelo grande dia.
O organizar era feito com muita ternura, capricho e muito amor. Atividade que demandava um tempo tido como precioso. O encapar os cadernos, o lascar o lápis pra escrever o nome na madeira, a fita crepe com o nome e a série... Não! Minha mãe não reclamava por ter de exercer essa tarefa.
O tempo de preparar o material escolar tornava a espera para o dia de voltar às aulas ainda mais significativa. A expectativa para o meu momento feliz me dava mais vida e me alegrava.
Chegada, então, a aguardada segunda-feira, o reencontro com os amigos, com professores e funcionários da escola era marcado por muitos sorrisos de felicidade e abraços sinceros.
Foram momentos abundantemente felizes... Momentos que hoje visitaram minha memória.
Aquele preparar com amor me ensinou a enxergar beleza na simplicidade. A espera permitiu que eu percebesse detalhes mínimos que fazem diferença na minha vida até agora, mais de duas décadas depois.

9 comentários:

  1. hoje as nossas crianças não trazem mais a magia e a vontade de voltar as aulas que nós tínhamos antigamente. Hoje a violência e a desmotivação é tanta, além da tecnologia massante que acaba-se por ser tudo muito igual...
    Um texto bem intrigante.
    Um abraço e uma ótima tarde...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Malu! Tomara que nossas crianças iniciem o ano letivo bem motivadas.
      Bj! Ótima tarde a você também.

      Excluir
  2. Boa-tarde, Lucimara!
    O meu nome é Rita Lavoyer.
    Sou da cidade de Araçatuba- .
    Sou blogueira e membro da Cia dos blogueiros e seguidora deste blog.

    Há um projeto na Cia dos blogueiros, que pretende reunir o maior número possível de pessoas para compor um poema. Por isso o nome "O maior poema"

    Estamos convidando todas as pessoas que têm blogs, por esta razão participo aqui.

    Para acessar a Cia dos blogueiros o endereço é:
    www.ciadosblogueiros.blogspot.com

    ou no meu blog também encontrarão informações de como participar.
    www.ritalavoyer.blogspot.com

    Por favor, repasse este convite aos seus amigos blogueiros. Inscreva-se! Participe!
    Muito obrigada. Muito obrigada. Muito obrigada!
    Rita Lavoyer

    ResponderExcluir
  3. Eliana Franco Bonfiglioli20 de janeiro de 2013 10:00

    Oi Lu,é verdade e como era esperada a volta as aulas na minha época.Tudo era feito com muito capricho e principalmente amor.Quantas vezes a ansiedade era tanta que eu acordava de madrugada só pra olhar o material que estava todo prontinho em uma mochila de pano (saco) confeccionada pela minha querida mãe,e quando voltava as aulas que maravilha reencontrar os amigos e principalmente a professora.Olha Lucimara Souza foi uma época de grandes dificuldades mas,eramos felizes pois a escola tinha um papel muito importante em nossas vidas o professor então, era visto como uma pessoa a qual deviamos respeitar acima de tudo,e quando ele nos advertia entendiamos que ele estava realmente querendo nos ajudar a ser alguém na vida,ainda que não tivemos diploma mas seriamos um adulto de valores e princípios.Valores esses que hoje ninguém mais respeita.Adorei o texto de hoje foi muito bom voltar ao tempo.Beijos

    ResponderExcluir
  4. Lindas recordações daquele tempo onde até isso era mais simples...

    Lindo te ler e que bom te rever também!beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  5. Minha infância foi bem parecida com a sua. Também somos em três, embora durante os primeiros anos de escola fossemos só dois.
    Também tinha cadernos com hino nacional que ganhavam capinhas coloridas e carinhosamente feitas pela minha mãe. Também os meus cadernos eram decorados pela minha mãe.
    Eu também fazia tudo isso com a ânsia de retornar à escola.
    Na minha escola, no dia de ver as turmas, tinha umas folhinhas fixadas nas portas das salas com o nome da professora e os nomes dos alunos. Era uma emoção grande sair caçando meu nome nas portas.
    Adorei o texto! Saudade da minha infância!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu!
    Acredita que achei esse seu texto sem querer? Estava pesquisando algumas coisas, e o título "Volta às Aulas" me pareceu interessante... Fui ler (me emocionei), e concordo com o que vc disse... Só quando eu estava lendo os comentários, que percebi que autora se chamava Lucimara, aí me lembrei de vc e fui confirmar. Sim, era vc, hehe.
    Bom, fiquei triste por perceber que sou tão desligada, mas fiquei feliz por encontrar um texto seu dessa forma aleatória. Nunca deixe de escrever!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alguém! Identifique-se! Que bom que gostou! Estou meio desligada do blog, infelizmente. A correria do dia-a-dia às vezes não permite que eu me dedique a ele como eu gostaria.
      Grande abraço!

      Excluir

Obrigada por sua visita e comentário.
Volte sempre, pois é e será sempre um prazer dividir minhas letras com você!