sexta-feira, 30 de abril de 2010

GRITO...








(...)
É quando a arte em mim se cala,
e o grito do meu silêncio explica.

12 comentários:

  1. Grito de amor e de paz!! Bela manhã, bela postagem! Um bom final de semana para você Lucimara, beijos, ;)

    ResponderExcluir
  2. que obra,.,. tudo de bom pra ti .,.,., ja esto pressente depos da ausencia

    ResponderExcluir
  3. Olá, Paulo!
    O desenho é uma famosa obra - pintura - de Edvard Munch. É Expressionista...
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Estar silente não é emudecer e sim saber se expressar por outro sentido. Bjos.

    ResponderExcluir
  5. o silêncio minha linda, inevitavelmente, fala mais alto muitas vezes do que os berros que podemos ecoar... um grande beijo em seu coração, tenha um lindo final de semana!

    Rosana Morena!

    ResponderExcluir
  6. Oi meu amor!
    As vezes não precisamos escrever e nem falar nada, porque o silêncio se explica. Em muitos momentos de nossas vidas não temos a vontade ou não conseguimos nos expressar e o silêncio se transforma na maneira mais correta naquele momento. Também usamos o silêncio muitas vezes para dar um tapa com luvas de pelica em nossos inimigos.
    Continue escrevendo essas lindas palavras que somente vc sabe.
    Bjos meu amor!

    ResponderExcluir
  7. Bom final de semana, Lucimara!
    Novo seguidor!

    abraço.

    Matheus
    do virandojornalista.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Com poucas palavras vc, como sempre, diz tudo!
    Parabéns por mais esta expressão da verdade, da nossa realidade.

    ResponderExcluir
  9. Essa obra já criou até uma lenda de vários acontecimentos misteriosos.

    O meu grito é contra a injustiça.

    Um grande abraço, amiga Lucimara.

    ResponderExcluir
  10. Eu não conhecia a autoria (já tinha visto a pintura em outros lugares), fui saber depois pesquisando na internet :P

    Olha, pode desabafar lá quantas vezes quiser. Eu também faço isso, pois essas ferramentas ainda são nossas válvulas escape, só que em rede social rs Damos a outros a possibilidade de aprender com nossos dilemas. Elas servem pra isso mesmo, pra tirarmos as amarras da formalidade do dia-a-dia. Sermos nós mesmos!

    Eu tenho uma receita, não sei se vai servir pra você, mas pelo menos a consciência disso me deixou melhor: dá pra perceber que você é uma escritora, e o "cálice está transbordando". Precisa ser vertido. No meu caso, o sentimento de perdição acontecia com muita frequência, quando eu achava que não estava vivendo a vida que eu queria ou fazendo as coisas que, no fundo, eu queria fazer. Uma delas é escrever. E escrever dá esse sentimento de vida, de libertação, quando saímos de nós e penetramos em outros universos. É o ato da criação. Será que não é isso que você precisa fazer, começar a criar personagens, textos literários, derramar-se em forma de arte? Quando nossos problemas parecem grandes, uma solução é sair um pouco de nós mesmos. A escrita confere essa possibilidade, de darmos um tempo de nós mesmos. Às vezes eu me sinto abalado, mas não retenho nada, extravazo tudo na escrita. rsrs

    Bem, não sei se ajudei, mas qualquer coisa estou por aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Lucimara!
    Teu blog está bombando! Guria talentosa!!!
    Bjkas, muitas!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e comentário.
Volte sempre, pois é e será sempre um prazer dividir minhas letras com você!