sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A BELEZA DO NATAL

Estamos a poucos dias de mais um Natal.
Percebo que as mensagens prontas e óbvias desta época sempre acabam levando as pessoas a alguma reflexão. Claro! São palavras bonitas e muito significativas, especialmente para quem acredita que existe um Deus que olha por nós e fala conosco através delas. No entanto, vivo a me questionar: qual a importância disso se alguns corações são tocados somente ali naquele momento em que se abre um cartão musical ou se recebem no e-mail algumas estrelinhas simpáticas vestidas de papai noel?
As mensagens devem sim ser espalhadas e buscarem incessantemente sensibilizar os povos, principalmente neste mundo tão acometido por injustiças e guerras. Mas, muito mais que isso, elas devem ser aplicadas e convertidas em gestos gratuitos ofertados ao próximo. Os desejos de Amor, Bênçãos, Saúde, Prosperidade e Proteção Divina precisam ser constantes e demonstrados não somente por meio de palavras ensaiadas ou clichês, mas através de atitudes. É aí que reside a beleza do Natal; do real Natal de Cristo.
Eu posso afirmar que o Natal é tempo de amar, de perdoar, de intensificar minha fé, de ser solidário; as mensagens também inspiram esse significado para a data.
Então, por que não viver o Natal todos os dias?
Esta época nos traz uma reflexão que deve nos acompanhar por todo o sempre e ser vivida da melhor maneira, intensa e diariamente, contagiando nossos semelhantes acerca dos ensinamentos de Cristo: seu nascimento, vida, morte e ressurreição.
Ultimamente o Natal ocupa um campo mais capitalista e menos espiritual, e a tradição de trocar presentes, de comer determinados tipos de comida ou de qualquer outra atitude imposta culturalmente pelo homem, abafaram o legítimo sentido do dia, induzindo pessoas a se preocuparem com tudo, menos com o menino Jesus.
Não é errado dar presentes, tampouco recebê-los, no entanto, é bem mais interessante saber o significado da ação de se oferecer um presente. Aliás, tudo o que envolve Natal tem uma simbologia. Cabe a nós pesquisarmos e disseminarmos.
Disseminarmos conhecimentos de forma gratuita, assim como os sentimentos bons e puros, livre de rancores e intermitentes faces carrancudas.
Precisamos ofertar o sorriso sincero, nos regozijarmos com o inesperado ou até o improviso que às vezes não dá certo. Sejamos verdadeiros em cada palavra proferida, cada emoção, cada momento de compaixão, longe de hipocrisias.
A magnitude da vida, de nossa efêmera vida, se constitui de gestos aparentemente insignificantes que fazem a diferença, seja nesta época, a cada ano que se inicia ou seja no trabalho, na escola, na família, na comunidade...
Se você acha que seu Natal será triste porque o décimo terceiro salário não saiu, você não terá mesa muito farta ou não receberá a visita do Papai Noel, lembre-se das condições de “conforto” em que o menino Jesus nasceu.
De que adianta a mesa farta e poucas pessoas para dividir? De que adianta tantos presentes e poucos amigos? De que adianta uma mensagem bonita e atitudes contrárias ou coração vazio? De que adianta a casa toda enfeitada e iluminada se o principal da festa nem foi convidado?
Ninguém é imune a este espírito natalino, portanto, que esta semana sirva de meditação para nós, a fim de que nosso coração se abra e celebre com alegria um verdadeiro natal feliz, a real beleza da vida.

9 comentários:

  1. Luci... vc tem toda razão!!!
    Todos os dias devíamos acordar com esse sentimento que se aflora mais nessa época, com a esperança que o melhor está por vir nas viradas de ano, a vontade de ajudar o próximo, os sorrisos, abraços e as palavras tão afetuosas que buscamos para dar aos nossos amigos e desconhecidos. Com certeza o mundo seria um lugar melhor para se viver!!!
    Lucizinha... vc é uma pessoa iluminada! Obrigada por nos trazer essas palavras que refletem muito nosso dia a dia! Bjks! Bom fds!!! =)
    Aline

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Aline!
    NÓS somos iluminadas...
    Abraços,
    Grata pelo carinho e amizade!

    ResponderExcluir
  3. E que esta semana nos lembre que o Natal é todos os dias. Todos os dias o menino Jesus (deveria) nascer em nossos corações, todos os dias deveríamos encarnar o espírito natalino, todos os dias deveríamos praticar o verdadeiro cristianismo, que é muito mais do que está estampado nos banners e nos outdoors de consumo, para além dos enfeites e dos cumprimentos formais natalinos.

    Parabéns pelo texto e, principalmente, pela transmissão de mensagens de cunho tão elevado. Poucos se preocupam com isso hoje em dia. Mas fico feliz de saber que ainda existem pessoas (intelectos primorosos) comprometidas com o enunciado poético do verdadeiro cristianismo.

    ResponderExcluir
  4. Lucimara,

    Criei o blog e fiquei por um tempo fora do ar (por falta de tempo). Quando retornei, estava disposto a fechá-lo. Mas ai encontrei você como seguidora e fiquei super, super feliz. Aquilo me deu ânimo para prosseguir. O simples fato de você ter se tornado seguidora do meu blog me deu estímulo intelectual e espiritual para continuar. Acho que, de alguma forma, e em algum momento, nossas mensagens chegam e tocam as pessoas. É só confiar, ter perseverança e força de vontade.
    Sinto, mesmo à distância, que sua presença e sua companhia são iluminadas, por si só suficientes para enternecer o espírito de qualquer um.

    Também sou seu fã leitor!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  5. Paulo,
    Muito obrigada pelas palavras.
    Fico igualmente muito feliz por ter te conhecido. Confesso que também tem momentos em que penso desistir do blog, mas tenho ainda esperanças de conseguir inúmeros leitores como você! Parabéns por ser assim!
    Feliz Natal a você e a todos aqueles que partilham todos os momentos ao seu lado.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  6. carlos Eduardo Romano22 de dezembro de 2009 12:00

    ola Lucimara, parabens mais uma vez por escrever coisas lindas e especiais,como esta sobre o Natal, realmente voce tem toda razao. Que bom que ainda existem pessoas como voce, que nos presenteiam com palavras nos lembrando do que muitas vezes esquecemos, O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL. FELIZ NATAL, Carlos Eduardo Romano

    ResponderExcluir
  7. Realmente não basta apenas copiarmos algo que julgamos bonito e mandar a todos nossos contatos. Na verdade se uma mensagem tocou o nosso coração, devemos primeiramente pratica-la para que depois possamos passar adiante.
    Muitas pessoas acreditam que o Natal é época somente de trocar presentes e esquecem do verdadeiro sentido da data e isso vem acontecendo em diversas datas cívicas de nosso calendário.
    Amor, os seus textos tocam o coração da pessoa mais fria desse mundo e ao mesmo tempo estimula para que as pessoas possam praticar a boa leitura, e se inspirem em seus textos. Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  8. Olá?
    tudo bem com vc
    assim espero que tudo..
    passei por aqui e gostei muito do seu blog site ,muito interessante e bonito.
    faça uma visita lá no meu acho que vai gostar também
    espero que sejamos amigos ok
    te aguardo
    Beijinhos
    Will

    ResponderExcluir
  9. Olá Luci!
    Gostei muito do que li. É sempre bom encontrarmos pessoas que pensam de uma maneira contínua acerca desta, data que é o dia 25 de dezembro.
    Num mundo tão "globalizado" seria bom que as pessoas não fossem tão imediatista ao ponto de celebrar a vida (natal) apenas naquele dia ou, para ser um pouco menos radical, nos dias que o antecede.
    Desejar Feliz Natal deveria não somente ser um ato de celebração, de troca de presentes (isso é muito bom), mas um gesto de amor, de comunhão fraterna, de reaproximação dos corações endurecidos por alguma palavra negativa. Deseja Feliz Natal deveria ser entre tantos gesto positivos, um gesto de perdão.
    Sendo assim, unindo-me a todos esses gestos citados e acrescentando o gesto de gratidão, quero desejar-lhe que o teu Natal seja do tamanho que desejas.
    Prosperidade em 2010.
    Att.
    Edu Santos

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e comentário.
Volte sempre, pois é e será sempre um prazer dividir minhas letras com você!