sexta-feira, 4 de março de 2011

SALA DE ESTAR


Ao longo de nossa caminhada terrestre conhecemos muita gente. Muita mesmo!
Algumas pessoas entram, passam e vão embora da nossa vida sem ao menos percebermos. Nem por isso deixam de ser dignas de consideração. Elas sempre têm uma missão ao passarem por nós. Seja atender a uma necessidade que tínhamos, preencher um desejo que jurávamos ser impossível de se realizar ou simplesmente dar aquele empurrão de que precisávamos para conseguirmos seguir adiante pelo percurso da nossa existência.
Outras são aquelas que passam tão rápido, tão rápido que sentimos como se fossem só um singelo sorriso a acenar na janela de um trem. O sorriso que, naquele instante, se configura no único fortificante a nos devolver a vida.
Mas há ainda aquelas que nos visitam de forma muito inesperada, porém essencialmente agradável. Pessoas estas que quebram a sequência do nosso cotidiano e tomam conta da sala de estar da nossa vida. Ambiente propício para incansáveis prosas não interrompidas sequer por aquele desatencioso que esbarra na mesinha de centro que apoia o bule do café. O café mais saboroso acompanhado dos mais frescos biscoitos que completam o sabor daquele bate-papo gostoso. Bate-papo que sempre pede mais. Conversa que transforma. Olhar que entende. Olhar que empresta um jeito novo de olhar. Silêncio que fala. Diálogo que revela.
É aí na humilde sala que se revelam amores, paixões, medos. Onde se partilham dores, carências, desejos. Risos ecoam pelos corredores da casa e lágrimas regam o pires da xícara do café.
Naquele ambiente as diferenças são reconhecidas e respeitadas, os corações se aproximam e o permanecer ali não carece de obrigação. Empresta-se, sem preocupações, o precioso tempo. A bondade da alma floresce como o mais belo ipê e a confiança se enrijece como a maior rocha.
Esforços são imensuráveis quando a tarefa é encher balões coloridos para enfeitar a sala que vai fazer a recepção. Tudo para alegrar o outro e ver, por mais tempo, aquele sorriso bonito em seu rosto.
É, enfim, na sala de estar da nossa vida, que acomodamos as pessoas a quem damos um significado especial. Parafraseando um grande escritor, temos, pois, o poder de tirar pessoas da multidão e dar a elas um rosto novo. Pessoas escolhidas a dedo para fazer parte permanentemente da nossa vida de uma forma muito fraternal.
E é ali que a saborosa prosa se prorroga e marca o sentimento que denomino amizade. Verdadeira amizade que se resume numa espécie de amor que não vai adormecer. Amor humano. Amor por valor. Sentimento que não se cansa e não afasta corações, ainda que geograficamente distantes.

15 comentários:

  1. Amei o texto, vc como sempre está de parabéns!!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Lucimara
    Na sala de visita, acolhemos aqueles escolhidos pelo coração. Aqueles com os quais nos afinamos, e temos a certeza que será uma amizade fraterna e duradoura.
    Tenha um ótimo carnaval.
    Bjux

    ResponderExcluir
  3. Que sala grande temos, né, Lu?

    É sempre muito gostoso caminhar por esta sala e te encontrar.

    Bjo(s) hehe e obrigado pelas palavras no VJ!
    Sucesso pra gente!

    ResponderExcluir
  4. Cara Lucimara,
    belo texto!!
    Bom Carnaval.
    abs

    ResponderExcluir
  5. Onde quer que nos encontremos, são os nossos amigos que constituem o nosso mundo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Nossa Lucimara, voce ja pensou em publicar um livro? Nossa parabens belo texto,,,

    ResponderExcluir
  7. Leitores,

    Obrigada pela delicadeza com as palavras.
    É sempre bom tê-los por aqui.
    Gracinhas vocês!

    Bjs e excelente feriado (com essa chuvinha boa... hehe)

    ResponderExcluir
  8. Parabéns à Pessoa Lucimara, que tem lugar cativo em minha sala de visitas.

    ResponderExcluir
  9. Lari,
    Você tem um lugarzinho especial em minha sala!
    Bjs pra você também e obrigada pela visita.

    Marcelo,
    Obrigada pelas palavras! Você é especial.

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu, saudades de vc amiga, saudades de habitar quase que diariamente a sua imensa e bela sala de estar! rs... Desculpe se me apego ao seu texto de forma tão particular, mas tenho certeza que uma grande amizade nasceu de conversas tão emocionantes, uma amizade eterna em meio a um lugar, por vezes, não desejado! Obrigada por tudo amiga! Parabéns por retratar tudo isso de forma tão ímpar e bela!

    ResponderExcluir
  11. Eliz,
    Eu já devia este texto a você!
    Não se preocupe porque a distância é um detalhe e sua presença em minha sala é constante.
    Bjs e obrigada pela eterna amizade.

    ResponderExcluir
  12. Olá Lucimara! Lindo o seu texto! Também tenho uma sala de visitas imensa por onde passaram muita gente e que meu coração escolheu só alguns para permanerem nela. Mas, são muitos os por lá permanecem e espero que seja para toda a vida. Para você, também tem um lugar reservado com muito carinho. Espero que, esta nova amizade, que nestas coisa da blogosféra encontrei, seja uma amizade saudável e duradoura.

    Com um bejo.

    ResponderExcluir
  13. Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Calor humano - eis a necessidade, sempre. Bom post. E oportuno.

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e comentário.
Volte sempre, pois é e será sempre um prazer dividir minhas letras com você!