sábado, 12 de julho de 2014

SUA HORA CHEGOU, BRASIL!

É, amigos brasileiros, mais uma vez não foi desta vez!
A Copa no Brasil foi, sim, a Copa das Copas. A organização superou expectativas e isso pôde ser visto até na imprensa internacional. Foi marcante o envolvimento, a hospitalidade e a alegria dessa nação que eu tanto amo.
Óbvio que não há brasileiro (patriota) que esteja feliz hoje com o quarto lugar. Mas, fazendo sua pior campanha em Copa, merecia mesmo entrar para a história.
Pensando bem, era hora de a Nação – ex-país do futebol – tomar esse choque de realidade. É triste que tenha sido por meio do futebol, esporte tão apaixonante que leva milhões de torcedores à loucura.
O que vimos foi a vitória da competência, da organização e da técnica precisa sobre a malandragem. Alemanha, vencendo por 7 a 1 e Holanda por 3 a 0 corroboraram. Brasil tomou 14 gols ao todo, e desta vez não teve o tal jeitinho brasileiro, ainda que estivéssemos aqui, onde muita coisa se resolve desta maneira.
Não acho que caiba a nós, agora, ficarmos julgando aqueles que estavam lá defendendo o verde e amarelo. Não estavam lá por um acaso. Claro que deveriam ter trabalhado de forma mais séria, renovada e eficiente, e, certamente, levando em consideração que o passado de Pelé ficou lááá longe, quando muitos deles ainda nem sonhavam em nascer.
Mas julgar também é bem fácil e, dependendo do tamanho da inconformidade, até natural. Só que nada mudará passos - ou passes - dados da história, tenham sido eles certos ou errados. Ainda mais quando se tem um Cabeça – dura – como o nosso, se Deus quiser, ‘ex-técnico’ Felipão.
Cabe a nós, que não estávamos preparados nem um pouco para tal derrota, voltarmos à realidade e irmos à luta! Realidade que não é transmitida pela mídia manipuladora, luta da qual não devemos fugir.
A Seleção Brasileira de 2014 deixa sua marca. Vergonhosa? Sim! Humilhante? Muito! E arrasadora e deprimente, eu acrescentaria.
Vi uma nação chorando entristecida. Inesquecível! Tudo pela perda da oportunidade de chegar ao tão sonhado sexto título mundial.
A grande herança da copa, ao meu ver, é um belo exemplo para as gerações que estão vindo. Até mesmo para os jogadores novinhos que disputaram sua primeira copa do mundo. Sem trabalho, esforço e seriedade não se ganha. Nem no esporte, nem na vida.
Bem... O trabalho feito com a equipe brasileira não foi bacana. Nossa Nação vai mal e não é só no futebol. A eliminação envergonhou, e realmente acabou com o sentimento de que estava tudo bem por aqui. Estávamos envergonhados há tempos. A Copa no Brasil só inibiu isso.
Mas, logo mais em outubro, temos uma disputa ainda mais importante. É ali que o Brasil tem que vencer de verdade. É quando teremos que escalar os homens que levarão nosso país e nosso povo à verdadeira vitória.
Nosso Brasil tem que ser Pátria Amada todos os dias, não só nos estádios. Pátria Amada merece cidadão que é honesto, luta dignamente pelo seu sustento, exerce sua cidadania através de um voto consciente.
Nossa nação não precisa de cidadãos que roubam, matam, sonegam impostos num dia e no outro vestem a camisa verde e amarelo e choram cantando o hino nacional.
Vamos que vamos, Brasil! Agora, sim, é hora de mostrar sua força!


PS.: Daqui a quatro anos, nosso Brasil estará na Rússia, pelo Hexa. Estarei torcendo com a mesma intensidade e alegria.
Valeu, Amigos! 2018 estaremos lá!

4 comentários:

  1. Adriano Marcelo Antonio13 de julho de 2014 08:33

    Ótimo texto....mostrando que seriedade e trabalho são imprescindíveis para o sucesso........tudo isso a partir da Copa. Maravilhoso!!!! Bom dia!!!!

    ResponderExcluir
  2. Querida, Lucimara. O Brasil não mereceu nada nessa copa, não treinou, não se preparou, perdeu-se no oba oba junto com a mídia que ficou enaltecendo coisas secundárias como, o bigodão do fred, o bumbum do Hulck, namoro do Neymar. O time jogo mal desde o começo. Beijos

    ResponderExcluir
  3. É, faltou foco! Mas de tudo ficou uma lição. Espero que tenham aprendido um pouco...
    Bj, Carlos!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e comentário.
Volte sempre, pois é e será sempre um prazer dividir minhas letras com você!